Conheça mais sobre a Artrite Reumatoide

O diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento são fundamentais para o controle da atividade da doença, prevenção da incapacidade funcional e lesão articular.

 

SAÚDE

Conheça mais sobre a Artrite Reumatoide

Por Thony Lamounier – Fisioterapeuta

 

A Artrite reumatoide (AR) é uma doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações. A causa é desconhecida e acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens. Inicia-se geralmente entre 30 e 40 anos e sua incidência aumenta com a idade.

Os sintomas mais comuns são dor, edema, calor e vermelhidão em qualquer articulação do corpo, sobretudo mãos e punhos. O comprometimento da coluna lombar e dorsal é raro, mas a coluna cervical é frequentemente envolvida.

As articulações inflamadas provocam rigidez matinal, fadiga e com a progressão da doença, há destruição da cartilagem articular e os pacientes podem desenvolver deformidades, principalmente nas articulações periféricas como os dedos em pescoço de cisne, dedos em botoeira, desvio ulnar e hálux valgo (joanete). 

Segundo o Colégio Americano de Reumatologia o diagnóstico de artrite reumatoide é feito quando pelo menos 4 dos seguintes critérios estão presentes por pelo menos 6 semanas:

1. Rigidez articular matinal durando pelo menos 1 hora

2. Artrite em pelo menos três áreas articulares

3. Artrite de articulações das mãos: punhos, interfalangeanas proximais (articulação do meio dos dedos) e metacarpofalangeanas (entre os dedos e mão).

4. Artrite simétrica (por exemplo, no punho esquerdo e no direito).

5. Presença de nódulos reumatoides

6. Presença de Fator reumatoide no sangue

7. Alterações radiográficas: erosões articulares ou descalcificações localizadas em radiografias de mãos e punhos. 

O diagnóstico precoce e o início imediato do tratamento são fundamentais para o controle da atividade da doença, prevenção da incapacidade funcional e lesão articular.

O tratamento medicamentoso vai variar de acordo com o estágio da doença, sua atividade e gravidade. Fisioterapia e terapia ocupacional contribuem para que o paciente possa continuar a exercer as atividades da vida diária. A proteção articular deve garantir o fortalecimento da musculatura periarticular e adequado programa de flexibilidade, evitando o excesso de movimento. O condicionamento físico, envolvendo atividade aeróbica, exercícios resistidos, alongamento e relaxamento, deve ser estimulado observando-se os critérios de tolerância de cada paciente.

 


 

 

Fonte: http://www.reumatologia.com.br Acessado 10/06/15


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: