Dica de Saúde: Vacinação contra a gripe: importância e dúvidas frequentes

A Unimed preparou, com a ajuda da técnica de enfermagem Viviane Martins, algumas dicas sobre a vacinação contra a gripe que irão esclarecer as principais dúvidas do público. Conheça a importância da vacina e quem deverá ser imunizado.


 Dica de Saúde: Vacinação contra a gripe: importância e dúvidas frequentes

Viviane Martins

Téc. De Enfermagem

As estações do Outono/Inverno são mais propícias às infecções respiratórias na população, oriundas da epidemia sazonal da gripe. No entanto, outros agentes virais e bacterianos ocorrem em simultâneo com a gripe. A incidência elevada da gripe na população em geral, atua como um impacto importante na saúde que se reflete na incidência de doenças graves, sobre tudo pneumonias bacterianas secundárias, contribui ainda, com o aumento dos internamentos, e na mortalidade.

Como medidas de controle e prevenção, o Ministério da Saúde inicia em quatro de maio a campanha de vacinação contra o vírus da gripe (H1N1). Dentre a população, tem preferência para receber a vacina; idosos com 60 anos ou mais, crianças de seis meses a dois anos, indígenas, gestantes, pessoas privadas de liberdade e profissionais de saúde. Também receberão a vacina mulheres no período de até 45 dias após o parto e os doentes crônicos e transplantados, que terão o acesso ampliado a todos os postos de saúde. Veja quais são as dúvidas mais frequentes:

A vacina contra gripe imuniza contra resfriado? Não, pois o resfriado é diferente de gripe.

Há alguma contra-indicação da vacina? A vacina só não é recomendada para quem tem alergia à proteína do ovo – usada na sua fabricação.

Vou ficar gripado (a) após me vacinar? Não. A vacina contra a influenza (gripe) é inativada, contendo vírus mortos, fracionados ou em subunidades não podendo, portanto, causar gripe.

Porque nem todo mundo recebe a vacina gratuitamente? A vacina tem por objetivo evitar os casos graves e os óbitos, e não eliminar a transmissão do vírus. Por isso todos os países que usam essa vacina, segue a recomendação da Organização Mundial de Saúde de vacinar os grupos com maior vulnerabilidade para as complicações e os óbitos.

Quem se vacinou no ano passado, precisa se imunizar de novo? Sim, a imunidade dura de 6 a 12 meses. A composição da vacina e produção é anual, e pode mudar conforme os vírus que circulam no ano anterior.

Como ocorre a transmissão? O vírus é transmitido, principalmente por meio de tosse ou do espirro, pelo contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas ao tocar superfícies contaminadas e depois levar a mão ao rosto.

Quais as medidas de proteção para a população não vacinada? Tomar alguns cuidados de higiene como: lavar bem e com frequência as mãos com água e sabão; evitar tocar os olhos, boca e nariz após contato com superfícies; não compartilhar objetos de uso pessoal e, ainda, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar.

 

Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

 


 

Referencias: Infecções respiratórias 2014/2015. Plano de prevenção e respostas para outono/inverno. Atualização em 17/12/2014. Direção geral da saúde. Ministério da saúde – Blog da Saúde - http://www.blog.saude.gov.br/

 

 


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: