27
27/06/2019
194 New Articles

Publicidade

OPERAÇÃO DESVIO: PF apura fraudes em obras de engenharia e desvio de verbas federais na Prefeitura de Barbacena e SAS


Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (23) a segunda fase da Operação Desvia. Nesta fase a Polícia Federal também está ouvindo o atual prefeito Luís Álvaro, diretor geral do SAS, agora também investigado, na gestão 2013-2016. Confira com detalhes o que está sendo investigado. Saiba mais...

001 PF Em Barbacena 230519

A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira, 23/5, a segunda fase da Operação Desvia que investiga a prática dos crimes de fraude em licitação, de corrupção e de desvio de recursos públicos federais na contratação de diversas obras públicas no município de Barbacena, durante a gestão 2013-2016.

Estão sendo cumpridos 30 mandados de busca e apreensão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região e pela 1ª Vara Federal de São João Del Rei, nos municípios mineiros de Barbacena, Juiz de Fora, Belo Horizonte, São João Del Rei, Piedade do Rio Grande e Carandaí. Estão participando da deflagração da Operação 130 policiais federais, além de 18 auditores da Controladoria Geral da União e 14 auditores da Receita Federal do Brasil.

Enquanto a ação policial do dia 21/5 focou no desvio de recursos públicos em um contrato para aquisição de equipamentos hospitalares para o Hospital Geral de Barbacena, as ações de hoje miram a ocorrência de fraudes à licitação e de desvios de recursos públicos em obras destinadas: à ampliação do sistema de esgoto sanitário; à construção de academias da saúde e à construção de quadras poliesportivas.

Em todos os casos em investigação, apesar de os recursos federais terem sido liberados pela União e estarem disponíveis ao município, as obras permanecem inacabadas ou abandonadas.

A primeira diz respeito ao convênio firmado com o Ministério das Cidades para a ampliação do sistema de esgoto sanitário que previa a instalação de redes coletoras e de interceptores, bem como a construção das Estações de Tratamento de Esgoto “Galego” e “Retiro das Rosas”.

A segunda se refere ao Programa “Academia da Saúde”, no qual, embora o Ministério da Saúde tenha repassado à Prefeitura recursos para a construção de academias da saúde nos bairros João Paulo II, Funcionários, Santa Efigênia, Pinheiro Grosso, Santa Luzia, Grogotó, São Francisco, Correia de Almeida, Colônia Rodrigo Silva, Nove de Março, Nossa Senhora do Carmo, Santo Antônio e Monte Mário, os empreendimentos seguem inacabados.

A terceira abarca o convênio firmado com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação – FNDE, que consiste na construção/reforma de quatro quadras poliesportivas nas escolas municipais Monsenhor Lopes, José Felipe Sad, Osvaldo Fortini e Coronel Camilo Gomes de Araújo, as quais estão inacabadas e duas delas paralisadas há mais de um ano.
Uma vez condenados, os investigados estarão sujeitos à pena máxima de 28 anos de reclusão.

As denúncias que estão sendo investigadas na fase dois da Operação Desvia foram feitas pelo ex-vereador Carlos Roberto Batista Kikito, que disputou a Prefeitura com o então Diretor-Geral do SAS na gestão 2013-2016, Luís Álvaro, atual prefeito.

Denúncias poderão ser encaminhadas para o e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. da Delegacia de Polícia Federal em Juiz de Fora, sendo assegurado o sigilo da fonte.


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: [email protected]






O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.