06
06/04/2020

Publicidade

“O isolamento social é a medida mais eficaz para interromper a transmissão do coronavírus” diz especialista

Dr. André Ribas afirma que mesmo as pessoas que não estão enquadrados no grupo de risco devem ficar atentas à epidemia. SAIBA +

001 Coronavirus ExamesO número de pessoas infectadas pelo coronavírus (Covid-19) segue crescendo, especialmente no Brasil. Com isso, é importante focar nas medidas de prevenção. Para o médico epidemiologista da Faculdade São Leopoldo Mandic, Dr. André Ricardo Ribas Freitas, a prática do isolamento social tem que ser levada a sério para interromper o contágio. “Não sabemos exatamente como está a curva no Brasil, há uma defasagem de exames muito grave, tivemos uma sobrecarga no sistema de saúde nas últimas semanas. A falta de dados pode levar a uma falsa impressão do crescimento ser menos intenso”, afirma.

De acordo com Dr. André, a melhora na curva do coronavírus leva em torno de três semanas, por conta do período de incubação do Covid-19. O médico descarta a possibilidade de sucesso do isolamento vertical, no qual apenas as pessoas pertencentes ao grupo de risco se privariam do convívio social: “Essa medida não foi bem sucedida em nenhum país. As pessoas do grupo de risco estarão expostas do mesmo jeito pela convivência com as demais. No Brasil, os jovens também devem sobrecarregar o sistema de saúde. A estimativa é de aumento de 4% na taxa de internação em UTI somente com o público mais novo.”

O médico da Faculdade São Leopoldo Mandic destaca ações adotadas por países bem-sucedidos no combate ao coronavírus, como é o caso da Coréia do Sul, que teve a curva achatada por meio de medidas que foram implementadas precocemente à confirmação dos primeiros casos. “A Coréia do Sul pode ser considerada um exemplo, é um país vizinho da China, onde começou a contaminação do coronavírus, estava bem exposta. Umas das iniciativas das autoridades por lá foi desinfetar as ruas e locais públicos, pois o vírus sobrevive nas superfícies.”

Outro destaque, segundo Dr. André, é que a Coréia do Sul, adotou a testagem ampla de pacientes. “Eles criaram um drive-thru para fazer testes. A pessoa passava de carro e fazia o exame sem sair do automóvel. Foi uma medida bem-sucedida, pois você identifica quem está com o vírus, isola quem está contaminado e interrompe a transmissão”, explica. “Além disso, as pessoas que tiveram coronavírus só tinham aval para voltar ao trabalho depois de terem dois exames negativos após a confirmação”, completa.

A Faculdade São Leopoldo Mandic disponibiliza em seu site uma área especial com informações sobre o coronavírus, com diversos dados e artigos internacionais. Acesso: slmandic.edu.br/tudo-sobre-coronavirus/


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: redacao@barbacenamais.com.br






O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.barbacenamais.com.br ou as ferramentas oferecidas na página.
Textos, fotos, artes e vídeos do BarbacenaMais estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do BarbacenaMais (relacionamento@barbacenamais.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o BarbacenaMais faz na qualidade de seu trabalho.


X