A sã política é filha da moral e da razão

Meio de transformação, solução de conflitos e evolução humana.

Ainda na adolescência, quando comecei a acompanhar os grandes acontecimentos no Brasil e no mundo, e também nos estudos da história, tomei consciência da importância da política como meio de transformação. É ela que garante a solução de conflitos, a livre manifestação de indivíduos e setores da sociedade, que dá voz aos cidadãos e tem a capacidade de produzir respostas aos dilemas gerados pela evolução das relações humanas.

Na Grécia Antiga, Aristóteles defendia que a política começa na convivência entre familiares e, depois, expande-se para o resto da sociedade. Ainda, que é a ciência que “tem por objetivo a felicidade humana”, tanto individual quanto coletiva. Nos tempos do filósofo, o “politico” era o cidadão que participava da vida pública, na democracia direta dos atenienses. Hoje, com cidades e países muito maiores, prevalece a democracia representativa, na qual representantes são escolhidos para administrar e legislar.

O fascínio pela capacidade de transformação da política e a admiração pela responsabilidade de representar a população me levaram à vida pública. Primeiro, ao me eleger vereador em Belo Horizonte, depois a deputado estadual de Minas Gerais. Na minha visão, o sentido essencial de exercer um mandato eletivo é representar e produzir resultados para o conjunto da sociedade.

Uma vez integrado às Casas Legislativas, aprende-se que, nos intervalos dos grandes momentos, a prática política é feita de incontáveis horas de escuta e diálogo, para que sejam apontadas as prioridades, de debates com os pares, com o governo e com a sociedade, de confrontos de ideias até que sejam construídas as pontes que levam aos avanços. Pode-se pensar o contrário, mas o fato é que há um trabalho intenso e paciente no dia a dia da política.

Por tudo isso, é particularmente gratificante quando o trabalho do mandato identifica necessidades que estavam fora da percepção do Estado e conduz a resultados concretos e relevantes para a população de um município ou região. É o caso, por exemplo, de quando viabilizamos a implantação da UTI neonatal em Paracatu, que dá mais conforto e, principalmente, mais segurança às mães do município e região, com a garantia de atendimento imediato aos recém-nascidos que necessitarem.

Foi possível, também, viabilizar recursos para obras de infraestrutura e aquisição de equipamentos por entidades sérias e comprometidas de áreas como a assistência a pessoas com deficiência e seus familiares, como no caso do Instituto Helena Antipoff, em Divinópolis. Com isso, torna-se possível ampliar e qualificar o atendimento, oferecendo novas possibilidades de desenvolvimento para as crianças beneficiadas.

Foi muito gratificante, também, constatar que recursos destinados à educação viabilizaram diversos projetos, como a aquisição de smartTVs para as escolas municipais de Araguari, facilitando o acesso a modernos recursos pedagógicos e atividades. Ainda, viabilizar obras de reforma nas escolas e a construção de quadras esportivas por todo o Estado. E a lista inclui até mesmo algo simples, como a transferência de imóveis do Estado para um município, possibilitando o uso de acordo com a prioridade local. É o caso da doação do Parque de Exposições de Barbacena, que receberá investimentos públicos e privados para sediar mais eventos comerciais e culturais, gerando emprego e renda na região. Como estes, há vários outros exemplos de que política deve ser instrumento para entregar soluções.

Reiterando minha confiança na política, inicio a trajetória como pré-candidato a novo mandato de deputado estadual, seguindo sempre a máxima de José Bonifácio de Andrada e Silva, nosso Patriarca da Independência: “A sã política é filha da moral e da razão”.


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail:

 

 







entre em contato pelo whatsapp