Biometria: eleitor que perdeu prazo tem até o dia 9 de maio para regularizar título em Minas Gerais

Neste ano, 84 cidades do estado terão biometria obrigatória. Segundo TRE, nas 4 cidades que vão estrear modalidade 330 mil títulos foram cancelados.

Os leitores em Minas Gerais que perderam o prazo para cadastrar a biometria nas 84 cidades (veja lista) que a modalidade de voto será obrigatória em Minas Gerais têm até o dia 9 de maio para regularizar o título e poder votar nas eleições deste ano. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), quatro cidades vão estrear a biometria obrigatória neste ano: Betim e Contagem na Região Metropolitana, e Uberaba e Uberlândia, no Triângulo Mineiro. O prazo para o cadastro terminou em 9 de fevereiro, e quem não o fez, cerca de 330 mil eleitores, tiveram o título cancelado, conforme o Tribunal.

Agora estes eleitores terão até o dia 9 de maio para regularizar a situação. O prazo também é válido para eleitores de todo o estado que ainda precisam tirar título, regularizar ou fazer transferência, de acordo com o TRE. Os serviços precisam de ser agendados pelo site do Tribunal ou pelo disque eleitor 148. Quem não se regularizar, não poderá votar nas eleições desde ano e não terão quitação eleitoral – necessária para alguns procedimentos da vida civil, como tirar o passaporte e fazer matrícula em instituição de ensino.

O que é o cadastramento?

A biometria usa as impressões digitais para identificar o cidadão. O objetivo é ter mais segurança e evitar fraudes. No Brasil, a emissão de passaporte, de carteiras de identidade e o cadastro das Polícias Civil e Federal contam com sistemas biométricos. A coleta das digitais dura poucos segundos. Além disso, é tirada uma fotografia e cadastrada a assinatura digitalizada. Para fazer o cadastro, basta levar documento oficial de identificação e comprovante de residência atualizado. Para o primeiro alistamento, homens devem comprovar também a regularidade com o serviço militar.

O que acontece se seu título for cancelado?

Não poderá votar; Não poderá solicitar passaporte, carteira de identidade ou qualquer outro documento que necessite da certidão de quitação eleitoral; Não poderá se inscrever em concursos públicos ou tomar posse em cargo ou função pública; Não poderá receber salário ou qualquer outra remuneração de emprego ou função pública; Não poderá participar de concorrência pública ou administrativa em qualquer autarquia da União, dos estados, dos municípios ou do Distrito Federal; Não poderá pedir empréstimos em banco ou estabelecimento de crédito mantido pelo governo; Não poderá renovar ou fazer matrícula em estabelecimentos de ensino público.


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: