Parlamentares divergem sobre processos contra diretoras

Aposentadas, servidoras que dirigiram escolas correm risco de perder parte dos salários e devolver valores já recebidos.

– Foto: Sarah Torres

A existência de processos administrativos, no âmbito do Governo do Estado, que têm como consequência a redução de salários de diretoras de escolas aposentadas foi motivo de controvérsias em audiência pública da Comissão do Trabalho, da Previdência e da Assistência Social da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na tarde desta terça-feira (29/9/20). Embora todos os deputados presentes tenham defendido o fim de tais processos, houve divergências entre governistas e oposicionistas sobre a natureza do problema.

Deputados que integram a base do governador Romeu Zema afirmaram que a questão é jurídica. A oposição, ao contrário, considera que a instauração de processos administrativos em função de julgamento de caso particular ainda não finalizado é de caráter político.

A maioria dos presentes na reunião, porém, criticou o governo por iniciar processos administrativos contra as aposentadas durante a pandemia de covid-19 e questionou os argumentos jurídicos apresentados. Em meio à disputa, diretoras aposentadas sofrem com ameaças de perda de parte dos salários e de devolução de valores recebidos nos anos anteriores.

Leia a matéria na íntegra.

Leia mais notícias no Portal da ALMG.


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: