Perfil genético ajuda Polícia Civil a solucionar casos

Banco de perfis genéticos têm sido peça chave para investigações da Polícia Civil de Minas Gerais.

Por meio de ferramentas científicas de alcance nacional, está sendo possível comprar materiais genéticos de cadáveres de pessoas desaparecidas com a dos familiares das mesmas, o titular da delegacia especializada em localização de pessoas desaparecidas, Lucas Oliveira Coutinho, explica que é muito importante nas apurações de desaparecimentos que parentes da pessoa, pais, irmãos ou filhos, sejam encaminhados para o Instituto de Criminalística da Polícia Civil, para haver uma coleta e armazenamento do perfil genético, esse cuidado possibilita a comparação dos perfis genéticos extraídos de cadáveres e de ossadas não identificadas. Trata-se de uma ferramenta que possibilita a identificação dos cadáveres desconhecidos.

Em um recente uso dessa nova ferramenta, resultou na solução para o desaparecimento de um homem, que teve seus ossos encontrados no município de Santa Luzia, na grande BH, em 2008. Do cruzamento dos genes dos irmãos da vítima, veio a confirmação. O delegado Lucas Oliveira Coutinho, também ressalta que “ É importante é destacar que caso o confronto seja positivo, a Polícia Civil dá o retorno aos familiares da pessoa desaparecida, que finalmente terão uma resposta e conseguirão viver o luto, também poderão obter a certidão de óbito e adotar todas as medidas porventura pertinentes, por exemplo, questões ligada a inventários e pensão. Já na esfera criminal, com a identificação do cadáver haverá muito mais eficiência na investigação do eventual crime praticado, já que agora a Polícia Civil conhecerá a identidade da vítima”.


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: