21
21/07/2019

Publicidade

Sim, meu filho, eu posso esperar


Dia desses eu cheguei em casa, de tardinha, com os dois meninos e não tínhamos nenhum compromisso pela frente. Tudo o que precisávamos fazer era brincar, lanchar, tomar banho e dormir. Leia mais...

+MULHER

001 Pop Corn Presentes

 

Sim, meu filho, eu posso esperar

Artigo Equilibrosa

Eu corro e, muito provavelmente, você também corre. A não ser que você faça parte daquela privilegiadíssima parte da população que leva tudo numa boa, que não se aperta nunca, você anda por aí com pressa, correndo contra o tempo pra conciliar tudo: tudo o que você precisa fazer com tudo o que você quer fazer. No meu caso, a pressa já se transformou numa coisa grave, meio crônica, porque eu tenho pressa até quando não precisa. Tem nome isso, é a Síndrome da Pressa, mal desse nosso tempo. 

Dia desses eu cheguei em casa, de tardinha, com os dois meninos e não tínhamos nenhum compromisso pela frente. Tudo o que precisávamos fazer era brincar, lanchar, tomar banho e dormir. Na hora do banho, fui tirando a roupa do menino no ritmo de sempre, e ele quis saber: “Onde a gente vai?”; “Em lugar nenhum”, respondi, ainda sem entender o x da questão. “Mas a gente tá atrasado?”; “Não. Por quê?” “Porque eu queria tirar a minha roupa. Você pode esperar, mãe?” Eu fiquei quieta, nem respondi em palavras porque não saberia o que dizer. Recuei, sorri sem graça, e fiquei vendo ele fazer o que queria, no ritmo dele. Fiquei pensando no quanto custa pra uma criança esse estilo de vida que a gente leva - e olha que eu nem moro em capital com quilômetros de engarrafamento e nem temos agenda cheia o tempo todo. Custa caro.

Preciso considerar que não posso, de fato, relaxar o tempo todo e deixar que eles façam tudo a Deus dará, sempre, porque senão ninguém chega na escola, ninguém chega no trabalho, ninguém sai de casa nem pra passear. Ritmo e rotina são duas coisas boas, tenho certeza, mas tem hora que é preciso mudar o ritmo e sair da rotina pra conseguir enxergar. Não faz muito tempo, o menino comentou comigo que fulano, ciclano e beltrano, amigos da escola, se calçam sozinhos. Não era uma reclamação, mas me caiu então a ficha. Ele, até ali, não tinha desenvolvido habilidade para colocar sozinho a meia e o tênis e a razão era simples: mal tinha tido oportunidade. Com pressa, a mãe aqui, preocupada em ensinar "coisas sobre o céu, a terra, a água e o ar", não dava o tempo - e o incentivo - que ele precisava para aprender a fazer por conta própria. Em meio a frustrações e uns minutinhos de atraso, estamos trabalhando nisso. 

 

Estilo de vida não é sempre uma escolha e, portanto, a gente tem que se perdoar e tentar compensar quando for possível. Crianças, no fim das contas, são uma escola e tanto pra isso, já que nos dão novas oportunidades a cada dia. E não é de uma hora pra outra que nos curamos da tal síndrome… Depois que eu já tinha dado esses pensamentos (e este texto) por encerrados, ao menos temporariamente, o menino me deu outro recado. Ele queria ver uma foto no meu celular, e foi passando seu dedinho na tela, lentamente, procurando pela tal imagem. Eu, com pressa, enfiei meu dedo na frente, e ele reclamou. “Tô te ajudando, pra achar mais rápido”, eu me defendi. “Eu não quero ajuda, quero procurar”, ele respondeu sem se alterar. E continuou procurando, sorrindo. 


 

Texto retirado do blog Equilibrosa

 

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.barbacenamais.com.br ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do BarbacenaMais estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do BarbacenaMais (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o BarbacenaMais faz na qualidade de seu trabalho.

Ceb 03


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: [email protected]






O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.