16
16/09/2019

Publicidade

Setor de transporte coletivo alerta para criminalização do assédio em ônibus

Campanha nacional de prevenção da violência contra mulher e da importunação sexual no transporte coletivo orienta passageiros a denunciar abusos. Leia Mais...

Onibus
Foto: Ilustração/Divulgação

No mês da mulher, empresas de ônibus em todo o Brasil conscientizam passageiros sobre a gravidade da importunação sexual dentro dos coletivos, lembrando que o ato agora é crime. A campanha nacional do setor de transporte coletivo urbano, com o tema "Ônibus é lugar de respeito! Chega de abusos!", completa um ano e segue com objetivo de inibir os casos de assédio físico dentro dos coletivos.

Segundo levantamento recente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, 7,78% das mulheres foram assediadas fisicamente dentro de coletivos em 2018, do total de 16 milhões que sofreram algum tipo de violência durante o ano passado, cerca de 27,35% das brasileiras. A preocupação do setor, responsável pelo transporte diário de 40 milhões de passageiros no Brasil, é conscientizar e orientar mulheres e demais usuários do sistema a denunciarem os abusos, além de dissuadir potenciais assediadores.

"É preciso que as pessoas entendam que o coletivo é sim, um lugar de respeito e não de violência", alerta o presidente executivo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), Otávio Vieira da Cunha Filho. A entidade, em parceria com o SEST SENAT (Serviço Social do Transporte e Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte), atualizou as peças da campanha inciada em 8 de março de 2018, com um novo foco na criminalização do ato, agora tipificado na lei como importunação sexual, com pena de 1 a 5 anos de prisão.

Em complemento à campanha, o SEST SENAT desenvolve uma capacitação para profissionais do setor de transporte, com foco nos motoristas e cobradores, que orienta sobre como lidar com esse tipo de violência, num esforço conjunto para inibir casos de violência sexual e de gênero dentro do transporte público e prestar melhor atendimento às vítimas.

"Temos um papel social importante no combate aos casos de assédio nos ônibus. Incluímos esse tema nos nossos treinamentos e acreditamos na importância desse trabalho. O assédio não pode ser tolerado", afirma a diretoria-executiva nacional do SEST SENAT, Nicole Goulart.

Os materiais da campanha incluem cartazes, folhetos para distribuição a bordo e nos terminais de passageiros, busdoor (com a opção de conteúdo para uso interno e externo), cards de redes sociais, vídeo e outros. Todas as peças publicitárias trazem números de telefone para denúncias e chamam a atenção para o rigor da lei que tipifica o assédio sexual como crime. A iniciativa busca mobilizar as mais de 500 empresas associadas e entidades filiadas à NTU.

 


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: [email protected]







O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.