ABPA reforça campanha de adoção e pede ajuda com doações para a entidade

O trabalho dos protetores dos animais não pára durante a pandemia, com atuação destacada de voluntários que desdobram na defesa, acolhimento e tratamento de cães e gatos abandonados e vítimas de maus tratos.

O trabalho dos protetores dos animais não pára durante a pandemia, com atuação destacada de voluntários que desdobram na defesa, acolhimento e tratamento de cães e gatos abandonados e vítimas de maus tratos.

Segundo o protetor Carlos Henrique de Oliveira, no início da pandemia foi registrado um aumento no número de animais abandonados por pessoas amedrontadas pela possível contaminação e transmissão pelos animais. Ele explica que a situação foi contornada através de campanhas de esclarecimento e de conscientização de que pets não contraem ou transmitem o vírus.

Com as orientações da quarentena a Associação de Proteção aos Animais de Barbacena registrou a queda nas doações indispensáveis para o funcionamento da entidade. Carlos Henrique lembra que a entidade segue com o trabalho normal e conta com o apoio de toda a comunidade com doações de medicamentos, material cirúrgico e principalmente ração para a alimentação das centenas de cães abrigados.

A entidade também oferece serviço veterinário com preços especiais para castração e tratamento de cães e gatos, e os interessados podem entrar em contato e agendar visita através do telefone (32) 3330-7095, ou diretamente na sede da entidade, situa à Rua Cristóvão Lobato Campos, bairro Serra Verde.

Há mais de 24 anos envolvido na atividade que desempenha com amor diariamente, Carlos Henrique registra o crescimento da consciência de toda a comunidade para a importância da defesa dos animais “que também foram criados pelo mesmo Deus que nos criou”, disse.

Na foto, Carlos Henrique com a cadela ‘Tininha’, há 16 anos abandonada, a mais antiga nas ruas da cidade.


Via Jornal Expresso


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: