18
18/08/2019

Publicidade

Agricultura

Artigo do ambientalista Delton Mendes fala sobre a descoberta da agricultura e sobre a sua importância para a humanidade. Leia Mais...

Sri Lanka 1037002 1920
Foto: Ilustração/Divulgação

A agricultura nem sempre existiu e, desde que foi desenvolvida, começou a mudar o mundo.

Pouca gente sabe, mas nem sempre a humanidade plantava. Por muito tempo, na verdade, por mais de 180 mil anos, a nossa espécie era nômade, caçadora e coletora, e não tinha sequer a ideia de ficar fixa em algum lugar por muito tempo.

Foi há cerca de 10 mil anos, logo após a última era glacial, que nossos ancestrais descobriram, certamente por casualidade, que era possível plantar sementes, ou fazer mudas, e ter plantações em diferentes épocas do ano. Essa descoberta é considerada por muitos como a maior revolução científica da história, pois deu o pontapé para o que hoje compreendemos ser as cidades.

Podendo plantar, nossos povos antigos, principalmente na Ásia, puderam criar povoados, cercados, com os primeiros protótipos urbanos, inclusive com coleta de água (esses povoamentos eram próximos a rios), saneamento básico primitivo, templos religiosos, dentre outras coisas elementares hoje em qualquer cidade. Isso mudou a cultura humana e passou a possibilitar, por exemplo, o crescimento populacional e maior expectativa de vida, já que o acesso ao alimento era melhor e mais seguro.

Além de tudo isso, é sempre importante salientar que biologicamente nós, humanos, condicionamos, por seleção artificial, a existência de espécies que hoje são comuns, como cães, vacas e até o brócolis: todos esses seres vivos são existentes por conta de cruzamentos que fizemos ao longo dos últimos milhares de anos, a partir de espécies ancestrais.

Texto: Delton Mendes Francelino – Diretor Internacional do Instituto Curupira, pesquisador em Ciências Ambientais e Culturais, Urbanismo e Sustentabilidade, Gestão e Planejamento de Áreas Naturais


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: [email protected]







O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.