Jovens do Plug Minas criam projeto de empreendedorismo para levar às escolas

Objetivo é incentivar crianças e adolescentes da rede pública ao protagonismo, tornando-os agentes sociais transformadores na instituição de ensino e na comunidade

GENTE QUE FAZ

Jovens do Plug Minas criam projeto de empreendedorismo para levar às escolas

Os jovens empreendedores Guilherme Menezes, Brenda Maia, Guilhermina Abreu, Polyane Costa e Lorena Serra, ex-alunos do Núcleo de Empreendedorismo Juvenil (NEJ) do Sebrae, no projeto Plug Minas – Centro de Formação e Experimentação Digital, um programa do Governo do Estado, já são exemplos para toda uma geração. Eles levam a milhares de estudantes a aposta na transformação da realidade através do empreendedorismo social como uma poderosa ferramenta, com o objetivo de causar impacto positivo e conquistar melhorias sociais reais.

"O Núcleo de Empreendedorismo Juvenil tem o objetivo de estimular os jovens a serem empreendedores de suas próprias vidas, formando na área de gestão de empresas, desenvolvendo capacidades empreendedoras e conhecimentos de administração. O incentivo ao protagonismo e o empoderamento para o avanço individual e social é central nesta iniciativa", Ricardo Pereira, gerente do Sistema de Formação Gerencial do Sebrae.

Com esse olhar visionário e muito jogo de cintura para articular o projeto é que os jovens criaram, em 2013, o grupo Embaixadores de Minas.

A partir de então, o grupo passou a se reunir periodicamente e, de um emaranhado de ideias, nasceu o primeiro projeto social de impacto. O “Embaixadores na Escola”, projeto voltado para alunos do 6º ao 9º ano do ensino fundamental da rede pública de ensino.

Através de uma imersão estimulante, o objetivo é incentivar crianças e jovens a refletirem sobre os problemas da escola e da comunidade, se tornando agentes transformadores.

“A proposta é fazer com que os próprios estudantes pensem e coloquem em prática soluções para os problemas que eles identificam, transformando o mundo ao seu redor”, explica Menezes.

Por meio de dinâmicas, brincadeiras, histórias inspiradoras e muita conversa, as crianças são convidadas a pensar em como poderiam ser a mudança que elas gostariam de ver.

Após muita pesquisa e debate foi criada a primeira metodologia de trabalho que levaria estes alunos a pensarem, sentirem e agirem sobre seu o papel na escola e como isso poderia refletir em toda comunidade.

As atividades com os alunos são divididas em quatro módulos: 1) Inspiração, 2) Diálogo, 3) Mão na Massa e 4) Reflexão, e têm duração média de dois meses. Em todos os módulos os Embaixadores buscam trazer atividades que sejam próximas da realidade vivida na escola, criando um ambiente onde os alunos possam se expressar.

 

“Acreditamos no protagonismo, empoderamento e empreendorismo. Criamos um outro universo para os alunos se colocarem e reconhecerem seus problemas, pelo confronto de suas emoções, problematização das questões que interferem em sua vida, criando um diálogo entre eles e identificando possibilidades de transformação pela ação prática", Guilherme Menezes, um dos integrantes do Embaixadores de Minas

O projeto Embaixadores na Escola aconteceu, até o momento, em seis escolas mineiras (Escola Municipal Professor Amilcar Martins, Escola Municipal Rui da Costa Val e Escola Municipal Deputado Renato Azeredo, Escola Estadual Juca Pinto, Escola Municipal Oswaldo Cruz e Escola Municipal Mestre Ataíde).

Em 2014, a iniciativa foi reconhecida e valorizada pela Prefeitura de Belo Horizonte, com o prêmio BH Cidade Educadora – Parceiros da Escola Integrada, que reconhece ações que contribuem com a educação de crianças e adolescentes.

Em 2016, os Embaixadores abriram um processo seletivo para integrar 14 voluntários, agentes multiplicadores do projeto, divididos em dois grupos de sete, para aumentar a capacidade do trabalho.

Hoje, há muita demanda das escolas para serem contempladas e, do outro lado, "muita gente interessada em ajudar, acreditando na força desta ação", explica Menezes. Os multiplicadores participaram do projeto em duas escolas e, futuramente, novas oportunidades serão abertas pelos Embaixadores. 

Os planos para o futuro são alargar cada vez mais o olhar ao protagonismo social das crianças e jovens das escolas públicas de Minas Gerais. Os jovens já estão definindo a meta de cerca de cinco escolas que devem receber o projeto até o primeiro semestre de 2017.

A expectativa é, além de definir as escolas, aprimorar ainda mais a metodologia para avançarmos cada vez mais na dinâmica e expansão do projeto.

 

O empreendorismo vai além 

Outro projeto criado pelos jovens foi o “#CompartilhaBH”, uma plataforma de compartilhamento de fotos e histórias nas redes sociais que nasceu para inspirar os cidadãos a olharem para a cidade de uma forma diferente.

“Nossa capital é uma cidade com várias belezas e curiosidades, muitas vezes não conhecidas ou valorizadas. Nossa ideia é fazer com que essas histórias ecoem pela cidade”, explica Brenda Maia.

O objetivo, segundo a jovem, é engajar os moradores da cidade a partir do compartilhamento de histórias. “As cidades são feitas por pessoas e nós somos os responsáveis pelas mudanças e por mostrar para o mundo o que temos de melhor”, acrescenta. O movimento, que começou em BH, se expandiu para outras cidades como Manaus, Blumenau e Fortaleza.

Outro recente projeto dos Embaixadores de Minas é o Ninho de Empreendedores Sociais e Transformadores (NEST), uma incubadora que visa apoiar os participantes a desenvolverem e executarem projetos sociais. A primeira turma foi realizada com 20 jovens do Núcleo de Empreendedorismo Juvenil, no Plug Minas.

 

Inscrições

Estão abertas as inscrições para o Núcleo de Empreendedorismo Juvenil do Plug Minas. São aptos a se candidatar a uma vaga do processo seletivo do PlugMinas jovens com idade entre 16 e 24 anos, completos até o primeiro dia de aula expresso no edital.

Os candidatos deverão estar regularmente matriculados e frequentes no ensino médio de escolas da rede pública localizadas em Belo Horizonte ou Região Metropolitana, ou já ter concluído o ensino médio (egressos) em uma escola da rede pública de Minas Gerais e que residam em Belo Horizonte ou Região Metropolitana.

Para se inscrever, é necessário que o interessado preencha o formulário eletrônico, via internet, pelo endereço www.plugminas.mg.gov.br.

Os jovens devem preencher corretamente todos os campos do formulário de inscrição. Caso tenha alguma dúvida no preenchimento, o candidato deverá entrar em contato com a equipe do PlugMinas pelo telefone 3466-2714. As inscrições deverão ser feitas até o dia 18 de novembro.

 

Núcleo de Empreendedorismo Juvenil 

O curso no Núcleo de Empreendedorismo Juvenil, uma ação da Escola de Formação Gerencial (EFG) do Sebrae, que integra o projeto Plug Minas, do Governo de Minas, é totalmente gratuito e com duração de um ano. É destinado a jovens egressos da rede pública de ensino, que estejam cursando ou tenham concluído o 3º ano do ensino médio.

Inaugurado em 2010, o Núcleo já formou mais de mil jovens empreendedores de Belo Horizonte e Região Metropolitana (RMBH) . Ao todo, são disponibilizadas 330 vagas para o curso técnico em Administração com ênfase em Gestão de Negócios e Empreendedorismo. As atividades do curso, com duração de um ano e carga horária de 1.000 horas aulas, se iniciam no primeiro semestre de 2017.


Crédito (fotos): Divulgação/Sebrae

Agência Minas


Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.barbacenamais.com.br ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do BarbacenaMais estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do BarbacenaMais (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o BarbacenaMais faz na qualidade de seu trabalho

 


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: