21
21/07/2019
229 New Articles

Publicidade

Grupos de ciclistas de Barbacena realizam 2ª ciclo-romaria até Aparecida


Após receberem as bênçãos do Padre Vanderli Reis Augusto no adro da Matriz de Nossa Senhora da Assunção (Boa Morte) os ciclistas iniciaram a segunda ciclo-romaria Barbacena a Aparecida. Leia mais...

GENTE QUE FAZ

 

Grupos de ciclistas de Barbacena realizam 2ª ciclo-romaria até Aparecida

2 Ciclo Romaria Aparecida

Movidos pela devoção, na última semana de julho, mais precisamente na quarta-feira (27), cerca de 28 ciclistas das mais variadas idades e dentre eles, uma mulher, estavam reunidos com um ideal, percorrer os mais de 360 km que separam Barbacena do santuário nacional de Aparecida no estado de São Paulo.

Após receberem as bênçãos do Padre Vanderli Reis Augusto no adro da Matriz de Nossa Senhora da Assunção (Boa Morte) os ciclistas iniciaram a segunda ciclo-romaria Barbacena a Aparecida com a organização do grupo de ciclismo PEDALOUCOS e participação de outros grupos como a Tribo do Pedal Animal.

No primeiro dia basicamente o grupo percorreu cerca de 100 km por rodovias, passando pelos municípios de Ibertioga, Piedade do Rio Grande até Madre de Deus de Minas onde passaram a primeira noite. Na quinta-feira, logo cedo todos estavam prontos e animados para encarar mais 102 km, enfrentando o frio às margens do Rio Grande e seguiram passando pelas cidades de São Vicente de Minas, Minduri, Cruzília, onde deixaram o asfalto de lado e seguiram pela majestosa Estrada Real. O segundo pernoite foi na cidade de Baependi sob as bênçãos de Nhá Chica.

O terceiro dia foi o mais curto, porém o mais duro. Com percurso de 68 km, o trecho ofereceu grandes dificuldades para os ciclistas, que tiveram que demonstrar garra e determinação para superar grande variação de altimetria no trecho da Estrada Real. Os viajantes também tiveram que conviver com grandes variações de temperatura, com muito frio pela manhã e calor intenso ao longo do dia.

Neste dia a ciclo-romaria saiu da cidade de Baependi, passou por Caxambu, São Lourenço, Pouso Alto, São Sebastião do Rio Verde e finalizou na acolhedora cidade de Itanhandu. Em Itanhandu, o grupo já tinha muitas histórias para contar. As paisagens avistadas, os morros praticamente “insubíveis”, os pneus furados eram temas de animadas conversas entre os ciclistas que se encontravam visivelmente cansados, mas mantinham a empolgação buscando força na devoção em Nossa Senhora Aparecida, pois no sábado, quarto dia do desafio, chegariam ao destino final, ao Santuário Nacional de Aparecida.

Finalmente chegou o dia de cruzar a divisa dos estados de Minas e São Paulo. O ciclista Nei Moreira revela que havia uma mistura de sentimentos de tristeza e felicidade, “um pelo o motivo da aventura estar chegando ao fim e outro pela sensação de missão cumprida”.

Logo nas primeiras horas da manhã os ciclistas partiram de Itanhandu e ainda percorrendo pela Estrada Real chegaram a última cidade do estado de Minas Gerais, a charmosa e acolhedora Passa Quatro. Seguindo inicialmente à beira da ferrovia onde trafega uma centenária Maria Fumaça e logo após um trecho de acidentada estradinha de terra os ciclistas retornaram para o asfalto na divisa dos estados. Faltava pouco mais de 40 km para o objetivo final e para o alívio do grupo, um grande trecho de asfalto na descida da serra deu um merecido descanso e também um adianto para a turma que percorreu o trecho final da viagem pelo Caminho Velho da Estrada Real, passando por várias cidades até o momento mais esperado, na Capital Nacional da Fé.

Já se passavam das 15h quando a ciclo-romaria chegou ao Santuário Nacional de Aparecida. Os ciclistas eram aguardados por familiares e o encontro foi marcado por muita emoção, reflexão e oração. Tomados por imensa felicidade por terem cumprido o proposto e apesar de exaustos, ali mesmo já começaram a combinar o evento de 2017.

 

No Domingo, após a missa das 8h, o grupo regressou de ônibus com as bicicletas no bagageiro de volta a Barbacena. Partimos como amigos e retornamos como uma só família” finalizou o autor do relato, o ciclista, Nei Moreira, integrante do grupo Tribo do Pedal Animal.


 

Foto/texto: Nei Moreira para Agência Expresso

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.barbacenamais.com.br ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do BarbacenaMais estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do BarbacenaMais (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o BarbacenaMais faz na qualidade de seu trabalho

CEB Logo


REDAÇÃO DO BARBACENAMAIS - Whatsapp (32)9 8862-1874 - Email: [email protected]






O Portal de Noticias BarbacenaMais não se responsabiliza pela opinião dos leitores expressas aqui através de seus perfis no Facebook.