Grupos mineiros levam músicas e estilos tradicionais brasileiros à Europa

A banda Coco da Gente e o Trio Caviúna, viabilizados pelo programa Música Minas, da Secretaria de Cultura, estão entre aqueles que mostram seus trabalhos no exterior. Leia mais...

GENTE QUE FAZ

 

Grupos mineiros levam músicas e estilos tradicionais brasileiros à Europa

A música é um dos segmentos artísticos mais efervescentes da produção cultural mineira contemporânea. E merece ser difundida sempre. Por isso, o intercâmbio cultural é uma das vertentes do programa Música Minas, da Secretaria de Estado de Cultura, como mais um canal de consagração da cadeia criativa mineira.  

“O raio de ação do programa alcança o exterior porque projeta amplamente a riqueza da música mineira”, afirma o secretário de Cultura Angelo Oswaldo. É um sistema, continua o secretário, que articula o campo da música para valorizar os que nele atuam. “A obra em progresso, pela qual se expande a produção e a divulgação da nossa música e objetivo da Secretaria de Cultura é viabilizar recursos que fomentem a vocação dos profissionais mineiros e as expectativas do público”, destaca.

O segmento musical mineiro independente e autoral ganha incentivo, impulso e fôlego para disseminar sua vocação pelo Brasil e pelos cinco continentes, como são os casos dos grupos mineiros Coco da Gente e Trio Caviúna.

O Coco da Gente acaba de aterrissar em Portugal para mostrar uma sonoridade de matriz africana e indígena originada no nordeste brasileiro no festival Pé-na-Terra, que acontece na Vila da Fuseta, em Algarve.

O Trio Caviúna está em pleno vôo no continente europeu, levando um repertório que retrata a tradição da música instrumental brasileira com mestres do violão brasileiro, como Villa Lobos, João Pernambuco, Dilhermando Reis e Garoto e autores contemporâneos como Paulinho da Viola e Maurício Carrilho e obras autorais em uma série de apresentações na Europa.

Neste ano, os artistas mineiros contam com incentivos que totalizam R$ 700 mil no Música Minas. As inscrições são correntes e valem para viagens programadas até o dia 31 de dezembro de 2016.

 

Coco da Gente

A banda mineira Coco da Gente está requebrando os portugueses desde esta quinta-feira (16). Os integrantes do Coco da Gente chegaram ao país para se apresentar durante o festival Pé-na-Terra, que acontece na Vila da Fuseta, em Algarve, entre os dias 16 e 19 de junho.

Em sua quinta edição, o evento busca divulgar a cultura tradicional brasileira na terra de Cabral e dos grandes movimentos artísticos como renascimento, maneirismo, barroco, rococó e neoclassicismo.

A banda mineira, integrada por Pedro Campolina, Camilo Bernales, Danilo Amarelo, Fabrícia Oliveira, Lídia Flor de Liz e Juliana Floriano, também promove oficinas de coco, percussão, dança, sapateado, capoeira e samba de roda. A Coco da Gente surgiu em agosto de 2013 durante rodas de cultura popular realizadas no bairro Santa Tereza, em Belo Horizonte.

Esta é a primeira vez que a banda se apresenta em terras estrangeiras, um momento bastante especial que chega após pesquisa sobre sabedoria dos velhos mestres da cultura popular que os integrantes fizeram na Bahia, Alagoas, Pernambuco e Norte de Minas. 

“Estamos conseguindo realizar o nosso sonho por causa do Música Minas. Esses programas são fundamentais para os artistas. Os custos para a construção de trabalhos são bem altos, então precisamos desses incentivos para continuar disseminando o nosso trabalho”

Juliana Floriano, uma das integrantes do grupo

Em Portugal eles também irão realizar uma oficina de coco, percussão, dança, sapateado, capoeira e samba de roda para ensinar os estilos diferentes das cantigas. O grupo encerra a sua passagem com palestra sobre a origem do ritmo e como ele se disseminou no Brasil.

Os músicos não escondem a expectativa em mostrar a cultura musical brasileiras aos nossos irmãos lusitanos. “A cultura brasileira é muito rica e recebeu influências de outros países. Por isso, é importante mostrar às pessoas os ritmos brasileiros, principalmente a dificuldade em mantê-los. O coco é uma dança divertida e animada, então esperamos que o público goste”, explica Juliana.

 

Trio Caviúna

O Caviúna, trio de violões de Belo Horizonte, formado pelos músicos Humberto Junqueira, Gustavo Monteiro e Artur Padua, tem no choro sua principal influência e estará em solo europeu com sua sonoridade e interpretações únicas, em uma turnê em casas culturais e shows, em três cidades: Paris, Lisboa e Porto.

O trio desembarcou na França, na última segunda-feira (13/6) e segue na Europa até o dia 28 próximo, em 15 dias intensos mostrando o repertório com grandes clássicos do violão brasileiro, passando por compositores consagrados.

A experiência do Trio Caviúna na Europa está sendo muito gratificante. Já tivemos a oportunidade de apresentar nosso show ‘Alma de Violões’, que foi muito bem recebido pelo público parisiense.  Faremos outras apresentações aqui e posteriormente em Lisboa e Porto e esperamos ter a mesma boa recepção. A admiração que o público europeu vem demonstrando para com violão brasileiro é de orgulhar a todos mineiros e brasileiros”

Humberto Junqueira, músico e violonista sete cordas, integrante do Trio Cavíuna

Com grandes compositores da música brasileira, como Villa Lobos, João Pernambuco, Dilermando Reis e Garoto, até Baden Powell, Paulinho da Viola e Maurício Carrilho, além de obras autorais e o peso de três violões tocando juntos e arranjos inéditos, o Trio Caviúna planeja, no retorno ao Brasil, iniciar o processo de pré-produção do primeiro disco do grupo.

 

Música Minas

O Governo de Minas Gerais reconhece que a música é um dos segmentos artísticos mais efervescentes da produção cultural contemporânea. Para fomentar toda a cadeia, o intercâmbio cultural é uma das vertentes do Música Minas, que busca viabilizar a concretização de projetos do segmento artísticos musical contemporâneo.

O objetivo visa à participação em eventos e/ou atividades prioritariamente culturais, no campo da música, promovidos por instituições brasileiras ou estrangeiras de reconhecido mérito.

 

A contribuições da classe artística, mediante diálogo contínuo com a SEC, possibilitou adequações no edital Música Minas 2016 para o aprimoramento da iniciativa. A principal novidade é em relação ao prazo: para este ano, o contemplado conta com maior tempo hábil para se preparar para a viagem a partir da data em que recebe o resultado da seleção.


 

Central de Imprensa - SeGov

 

Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.barbacenamais.com.br ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do BarbacenaMais estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do portal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do BarbacenaMais (Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o BarbacenaMais faz na qualidade de seu trabalho


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: