Psicoterapia Reencarnacionista e Regressão Terapêutica: uma nova maneira de encarar e resolver os conflitos

O BarbacenaMais entrevista o psicólogo Luís Henrique Trindade, especialista em psicoterapia reencarnacionista. 

A psicoterapia reencarnacionista, também conhecida pela sigla P.R., é uma nova escola psicológica que propõe a fusão dos fundamentos da psicoterapia e da reencarnação. O tratamento é realizado na forma tradicional, no consultório, e tem como uma de suas ferramentas principais a regressão terapêutica. A chamada regressão é o acesso a vidas passadas, ou a fatos desta vida mesmo, fazendo emergir do nosso inconsciente espiritual conteúdos, na maioria das vezes, traumáticos e dolorosos que estão tendo ressonâncias ou interferências na nossa vida atual, os quais provocam inúmeras neuroses e desajustes emocionais.

Em 2004 a ABPR (Associação Brasileira de Psicoterapia Reencarnacionista) foi fundada na cidade de Porto Alegre pelo médico homeopata Mauro Kwitko, que é também autor de vários livros sobre o novo método terapêutico. O Psicoterapeuta Reencarnacionista Luís Henrique Trindade, formado pela ABPR, está atuando neste novo tratamento em Barbacena, já há nove  anos, colhendo bons  e interessantes frutos. Em entrevista ao site  Barbacena Mais, o psicoterapeuta, que também é Psicólogo, fala um pouco mais sobre esse tratamento. 

BarbacenaMais: Fale sobre as diferenças entre a terapia convencional e a reecarnacionista

Luís Henrique: A psicoterapia reencarnacionista trabalha com a “Personalidade Congênita”, já nascemos com ela, de outras vidas. A psicoterapia reencarnacionista acontece e se estrutura em cima do postulado de que uma expressiva parte  dos nossos problemas tem suas raízes em vidas anteriores. A psicologia atual, herdeira da concepção não-reencarnacionista, restringe o seu campo de ação à uma vida  apenas, a atual. Portanto, trabalha dentro de um campo limitado, que é a “Formação da Personalidade” se erigindo em uma existência, apenas.Os princípios terapêuticos são os mesmos da Psicologia. Apenas a visão do paciente que muda. Ele é visto como um espírito fazendo seu processo evolutivo através das várias encarnações.

A psicoterapia reencarnacionista acontece e se estrutura em cima do postulado de que uma expressiva parte  dos nossos problemas tem suas raízes em vidas anteriores. 

B.M.: Existe uma diferença no tempo da melhora dos pacientes comparado as terapias convencionais?

Luís: Comparando com as terapias convencionais, a melhora é bastante rápida. Através da regressão, o paciente acessa as causas que geraram os  distúrbios e desliga-se destas  experiências  dolorosas. Causas desta  e de outras vidas.

 

B.M.: O paciente fica consciente durante o tratamento?

Luís: Sim. Toda a regressão é feita conscientemente. Relaxa-se o paciente, e em seguida o induz a uma elevação de consciência, durante a qual acontece o processo regressivo. Ao término da regressão o paciente  se lembra, exatamente, de tudo.

 

B.M: Fale sobre o aproveitamento da encarnação no contexto da P.R.

Luís: A P.R. é um tratamento estruturado como uma Psicoterapia Breve, que lida com a finalidade e o aproveitamento da encarnação atual. Até porque, se ela é a que está acontecendo, ela é a mais importante. A P.R. tem como objetivo nos ajudar a recordar qual a nossa proposta de reforma íntima. Em suma, é nos  assumirmos, nos tornando responsáveis pela própria existência, através da auto-consciência, do auto-conhecimento, irmo-nos  livrando dos defeitos e imperfeições para que nos tornemos seres humanos melhores em todos os sentidos. Enfim, seres felizes e resolvidos.

 Em suma, é nos  assumirmos, nos tornando responsáveis pela própria existência, através da auto-consciência, do auto-conhecimento, irmo-nos  livrando dos defeitos e imperfeições para que nos tornemos seres humanos melhores em todos os sentidos. Enfim, seres felizes e resolvidos.

BM.: Alguns espíritas possuem ressalvas com relação à regressão. Qual a sua sua opinião sobre?

Luís: Acho  que  é  fruto do desconhecimento sobre a regressão como processo terapêutico. No Livro dos Espíritos, mais precisamente, na  questão  942, fala-se sobre a lei do esquecimento.  Se não lembramos é porque  as  situações vividas  em  vidas passadas, devem ser esquecidas mesmo, para  que nosso processo evolutivo não seja prejudicado. A Lei do esquecimento é fato. Só que a regressão não é um tour pelas  vidas passadas. Você acessa, apenas, as  situações traumáticas  vividas  em determinados períodos de vidas passadas,que  estão provocando ressonâncias na vida atual, prejudicando seu desenvolvimento, trazendo desarmonia e desajustes  emocionais, que te impedem de viver , hoje, com equilíbrio, saúde e  alegria.  

 


Luís Henrique Trindade-  Tel. Celular: 32 9 9918 3471

Endereço  Consultório: Av. Pereira Teixeira, 341 – Centro.   Tel. 3333 2902


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail: