Em destaque | Robozeus já está no Rio para o Mundial de Robótica

A equipe dos robotiquers barbacenenses Robozeus participa do Mundial de Robótica representando Barbacena, Minas e o Brasil na competição

A equipe Robozeus com suas técnicas na entrada do Mundial de Robótica que movimenta o Rio de Janeiro neste final de semana


Começou nesta sexta-feira, no Pier Mauá, no Rio de Janeiro o Mundial de Robótica Open Brazil, que reúne equipes de 38 países, e dentre as equipes estão os barbacenenses da Robozeus, equipe de competição do Sesi Barbacena.

A equipe, que tem como técnicas as professoras Gisele Assis e Denise Sabino, é formada pelos estudantes Leonardo Cúrsio de Miranda, Bernardo Siqueira, Valentina Ferreira, Pedro Sanches e Pedro Gazzinelli. Os robotiquers barbacenenses já estão no Rio de Janeiro desde quinta-feira, e, nesta sexta-feira participam dos treinos para as competições do robô que acontecem neste sábado, e na apresentação do projeto de inovação através do qual foi criado o DART, dispositivo que é instalado nos caminhões de cargas vivas para propiciar a diminuição da temperatura durante o transporte.

O DART foi testado com sucesso em caminhões da empresa Rivelli e do Haras Água Santa, da família Fortes Feres, e foi tema de reportagem do MG Rural, da TV Globo, dada a importância de inovação trazida para o transporte de cargas vivas. O dispositivo foi criado inteiramente por estudantes de 13 a 16 anos do Sesi Barbacena.

As competições vão até a tarde de domingo, quando será realizada a premiação do campeonato.

SOBRE O CAMPEONATO

Na categoria First Lego League Challenge (FLL), de robôs menores, participam estudantes de 9 a 16 anos (no Brasil e demais países, à exceção dos Estados Unidos e Canadá, cuja faixa etária é de 9 a 14 anos). Eles buscam soluções para problemas do dia a dia da sociedade moderna. Participam as 90 melhores equipes de FLL de todo mundo, sendo 58 estrangeiras e 32 brasileiras. A segunda modalidade é a Off Season da First Robotics Competition (FRC), que terá 28 equipes brasileiras, sendo conhecida como a Olimpíada dos Robôs.

O torneio internacional existe desde 1998. O Brasil começou a acompanhar a competição há cerca de dez anos. O Sesi é o operador nacional dos eventos de robótica no país.

As equipes brasileiras que participam do festival são as melhores classificadas no campeonato nacional realizado em maio, em São Paulo. P

No início de 2023, será realizada uma competição em que os melhores classificados vão concorrer nos melhores torneios internacionais. “Nesses torneios internacionais, a ideia é ganhar notoriedade. São competições onde as principais universidades americanas e empresas do mundo estão de olho nos profissionais que estão trabalhando nos torneios de robótica. Grandes empresas, como Boeing e Microsoft, financiam esses torneios”, acentuou.


Imprimir  

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail:

 

 







entre em contato pelo whatsapp