ANEEL autoriza aumentos em baixa e alta tensões; no consumo residencial, o reajuste aprovado é de 5,22%

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) autorizou a CEMIG a reajustar suas tarifas de energia. Conforme o órgão, o aumento para consumidores residenciais será de 5,22%. No reajuste para clientes de alta tensão, como indústria e grandes comércios, o percentual aprovado foi de 14,31%. Já para sistemas de baixa tensão, como iluminação pública e sistemas agropecuários, lojas e edifícios comerciais, o índice ficou em 6,23%. O efeito médio para consumidores em geral será de 8,80%, informou a ANEEL. A agência estima que 8,8 milhões de mineiros, que são atendidos pela CEMIG, serão impactados com os novos valores. O reajuste entra em vigor a partir desta quarta-feira (22 de junho).

Em nota, a CEMIG afirmou que o aumento no preço da conta de luz vai ocorrer após dois anos sem reajustes. Ainda conforme a companhia, apenas 23,1% do valor cobrado na tarifa é repassado à empresa. O montante referente aos 76,9% são distribuídos em tributos pagos aos governos estadual e federal, compra de energia, encargos para linhas de transmissão e receitas irrecuperáveis. "Os impostos arrecadados na tarifa de energia, como taxa de iluminação pública, ICMS, PIS e Cofins são repassados integralmente para as prefeituras, Governo Estadual e Governo Federal", argumenta a CEMIG.

Tudo o que aconteceu hoje, diretamente no seu e-mail

Receba nossas noticias em seu e-mail:

 

 







entre em contato pelo whatsapp