21
21/01/2017

Top Esportes

CRP Campeão Copa Barbacena 2016

O repórter Diego Cobucci acompanhou a Copa Barbacena 2016 e esteve presente na conquista do campeonato 2016 pelo CRP. Aperte o Play e confira a matéria.

Além dos jogos na Gávea, no Rio de Janeiro, o amistoso contou com a alegria das crianças e seus pais. Leia mais... 

As datas e locais de entrega serão informadas na página em breve e uma lista com algumas sugestões também foi divulgada. Leia mais...

Este ano o evento será estendido a uma grande confraternização no sitio da APAE. Leia mais...

Pronta para o seu 1º XTERRA, Ibitipoca recebe nossos guerreiros de braços abertos, para que, entre um quilômetro e outro, possam desfrutar das melhores atrações do local. LEIA MAIS...

Dimas Soares Ferreira  traça alguns roteiros na região de Barbacena para os amantes do mountain bike.


 

TRILHAS E AVENTURAS NAS VERTENTES

Dimas E. Soares Ferreira

Barbacena é uma cidade privilegiada pela sua localização, pelo seu clima temperado e pela natureza que abunda ao seu redor. Encravada no topo dos contrafortes mineiros da Serra da Mantiqueira, a cidade nasceu do entroncamento dos caminhos abertos pelos bandeirantes entre o final do século XVII e o início do século XVIII, ainda como Arraial da Borda do Campo.

À sua volta existe uma infinidade de pequenas serras, morros e vales recheados de matas, campos, rios, cachoeiras e centenas de fazendas históricas. E entre esse conjunto de atrativos passam milhares de caminhos, estradas e trilhas integrando a natureza à história, criando um gigantesco potencial para o ecoturismo, o turismo rural e a prática de esportes de aventuras, como trekking, mountain bike e escaladas.

Seria impossível descrever, de maneira pormenorizada, todas as possibilidades de trilhas e aventuras existentes na região, tendo Barbacena como ponto de partida. Mas, é possível citar alguns atrativos e roteiros num raio de 50 quilômetros em torno da cidade que valeriam a pena serem conhecidos.

 


Fazenda do Criminoso

 Comecemos então pelas trilhas que levam aos paredões da Mantiqueira no sentido de Antônio Carlos. Do seu distrito de Sá Fortes tem-se acesso à Estrada Real e à velha Estrada União-Indústria passando pelas Fazendas Campo Verde e da Serra até se alcançar os chafarizes já na descida para a comunidade das Perobas. Partindo de Antônio Carlos existem três outros circuitos de aventuras. O primeiro deles segue em direção à histórica Fazenda da Borda do Campo, passando pelas Fazendas do Belém conectando-se à Estrada Real por estrada ou trilhas. O segundo segue em direção às comunidades dos Araújos e Barro Branco até se chegar às ruínas da Estação de João Ayres passando pelas Fazendas do Quilombo, Quilombinho, João Ayres e das Gerais (com sua linda cachoeira por onde passa o rio Pinho). Dali tem-se acesso à famosa Trilha do Retireiro que leva à Fazenda Cabangú e às inúmeras outras fazendas naquele vale, como as Fazendas de Ayres Gomes (Engenho e Mantiqueira). E, por fim, o circuito das trilhas que partem em direção ao distrito de Curral Novo, podendo se chegar à Fazenda Cachoeira e à Cachoeira do Fagundes, bem como às trilhas do Picumã, que levam às nascentes do rio Paraibuna com fazendas magníficas ao seu redor, como a Caminho Novo, do Barro, Jacutinga, Criminoso e Passa Três.

 Fazenda do Contra-Mestre

Outro circuito de aventuras e trilhas é o que segue na direção das Serras de Santa Bárbara, do Melo e da Trapizonga. Entre os contrafortes destas três serras existem dezenas de vales recheados de atrativos naturais, como rios, nascentes e cachoeiras e muitas fazendas antigas. A Serra de Santa Bárbara é considerada a “meca” do mountain bike pela variedade de trilhas e pelo elevado nível das mesmas. São trilhas que descem seus paredões em direção aos vales do Tinguá, Ramalho, Buracão, Castelo, Fim do Mundo e Antena-Paredão. O Tinguá é conhecido como o Vale das Cachoeiras Perdidas, tamanha a dificuldade de acessá-lo. Mas, as mais belas e impressionantes cachoeiras ficam no Vale do Ramalho: Barro Preto, Sumidouro e Ramalho. Esta última com quase 100 metros de queda, é considerada uma das mais altas de Minas Gerais. Já a Trilha do Castelo, que dá acesso à cachoeira do mesmo nome, passa por caminhos e cavas abertas por tropeiros há quase três séculos. O Vale do Buracão, com seus paredões e fazendas, conecta as Serras de Santa Bárbara e do Melo passando muito próximo das famosas Pedras do Índio e do Macaco chegando-se ao distrito de Senhora das Dores, bem como à cidade de Desterro do Melo ou até mesmo retornando à Santa Bárbara do Tugúrio pela Trilha da Pururuca.

Há também a incrível Trilha do Fim do Mundo que desce os paredões da Serra de Santa Bárbara a partir da comunidade do Campestre II, até o Vale do Japão, de onde se tem acesso a Oliveira Fortes, Paiva ou Santa Bárbara. Todos os caminhos e trilhas deste circuito são pesados e exigem muito preparo físico e psicológico para serem superados, seja a pé ou de bike. A Trilha da Antena-Paredão conecta a região próxima às comunidades dos Costas e da Vargem dos Coxos ao fundo do Vale do Rio Pomba onde está a cidade de Santa Bárbara do Tugúrio. Nesta região é possível se deparar com fazendas antiquíssimas como a das Abóboras, Raposa, Buracão e do Padre, além das nascentes dos rios das Mortes, Pomba, Xopotó e Piranga. Estes dois últimos correm entre as Serras do Melo e da Trapizonga, onde existem fazendas importantes, como a do Japão e da Vargem do Amargoso, além da famosa Pedra Menina. Também nesta região está a Árvore Gigante, bem no fundo do Vale do Xopotó, próximo à Fazenda Conceição. Uma figueira com mais de 500 anos isolada no meio do bananal e que impressiona pelas suas dimensões. Para se chegar a estes lugares é preciso passar por comunidades isoladas no meio destas serras (Gonzaga, Peixoto, Japão, Pouso Alegre, Carranca, Potreiro, Simão Tamm, Morro Queimado, entre outras).

Fazenda do Barro

 

Finalmente, o circuito do Vale do Rio Ressaquinha. Neste imenso vale que separa Barbacena, Barroso, Ressaquinha, Alfredo Vasconcelos e Dores de Campos, a história da colonização das Vertentes permanece adormecida e esquecida. Fazendas tricentenárias como do Contra-Mestre, Jacó, Paraíso, Água Limpa e do Bandeira ainda permanecem lá para marcar um tempo de ocupações de terras, de luta contra indígenas, de revoltas de escravos e de inconfidências. Ali, no fundo do vale, fica a comunidade da Ressaca que guarda um dos maiores tesouros do período colonial: a Capela da Ressaca com pinturas de Mestre Athaíde no seu teto. Também neste vale estão as impressionantes Ruínas do Loures, uma fortificação que existiu na confluência dos rios Ressaquinha e Alberto Dias, provavelmente onde funcionou um Registro da Coroa Portuguesa. Ali, os tropeiros e viajantes eram obrigados a desensacar as mercadorias que transportavam para serem fiscalizadas e, em seguida, reensacá-las. Daí o nome “Ressaca”, que deu origem à cidade de Ressaquinha, nascida onde se ergueu no início do século XVIII uma das primeiras fazendas das Minas do Ouro, a Fazenda da Costa da Mina.

Poderíamos ficar aqui descrevendo muitos outros atrativos da região em torno de Barbacena e se ampliássemos o raio de extensão desta região para 100 quilômetros teríamos de incluir as Serras de Ibitipoca, São José e Carrancas, ou ainda as dezenas de fazendas históricas de Santana dos Montes, bem como muitas outras maravilhas naturais e registros históricos, mas isso é assunto para outras reportagens.

 


Dimas Soares Ferreira é Professor da Escola Preparatória de Cadetes do Ar, fotógrafo amador e praticante do mountain bike e do trekking. Administra a página Trilhas&Aventuras no Facebook (<https://www.facebook.com/pages/TrilhasAventuras>).

Além do campeonato mirim, a Super Vôlei teve a equipe Infantil classificada como vice-campeã e a Infanto disputará o terceiro lugar. Leia mais...

Este ano o torneio teve início no dia 29 com alunos no tabuleiro de xadrez gigante. Leia mais...

Fernando foi campeão e Ana Carolina conquistou a 3ª colocação na categoria 20 a 29 anos. Leia mais...

Publicidade Gloria
Publicidade